Fórum Justiça Ambiental no Cacuaco

No dia 18 de Junho de 2022, no âmbito do projeto “Environmental Disaster and Civic Mobilization in Angola”, realizou-se o evento Fórum Justiça Ambiental, em colaboração com o movimento Terceira Divisão. O evento teve lugar na sede da Terceira Divisão no Cacuaco (Eco Campo) e contou com os membros da equipa Cláudio Fortuna e Ruy Llera Blanes, assim como Auber Fichess, membro co-fundador da Fridays For Future Angola. Por motivos técnicos, não foi possível contar com a participação inicialmente prevista da Justiça Ambiental Moçambique.

Foi igualmente lançada a versão impressa do Guia de Estratégias para o Cidadão Preocupado: Lixo, Cidadania e Poder Local, produzido pelo projeto e pela Terceira Divisão.

Continue reading “Fórum Justiça Ambiental no Cacuaco”

Relatório: Seca em Angola. Ponto da Situação 2020-2021. Causas, Respostas e Soluções

Março de 2022

Foi publicado pela equipa de investigação o relatório “Seca em Angola. Ponto da Situação 2020-2021. Causas, Respostas e Soluções”

Síntese:

Em 2019, as províncias do Sudoeste de Angola encontravam-se à beira de uma crise humanitária sem precedentes, devido a um prolongado ciclo de seca que se estendeu por quase uma década. O projeto de pesquisa “Environmental disaster and civic responses in Angola” realizou um levantamento local da situação no Sul de Angola ao longo de 2020-2021, recolhendo depoimentos de habitantes locais e stakeholders relacionados com esta catástrofe ambiental. Concomitantemente, mapeou respostas passadas e actuais à seca e analisou o caso do Sudoeste de Angola no quadro de desastres ambientais globais.

Referência bibliográfica:

Blanes, Ruy Llera, Carolina V. Cardoso, Helder A. Bahu & Cláudio Fortuna. 2022. Seca em Angola. Ponto da Situação 2020-2021. Causas, Respostas e Soluções. Relatório de Pesquisa. Gotemburgo e Lubango: School of Global Studies & ISCED-Huíla.

Download:

Versão alta resolução (110MB) em ficheiro zip

Versão baixa resolução (2MB) pdf

Base de dados: notícias e bibliografia sobre o Sudoeste de Angola

No âmbito das pesquisas do nosso projeto, disponibilizamos em acesso aberto duas bases de dados construídas pelos investigadores participantes. As bases de dados são multilingues (português, inglês, espanhol, francês) e encontram-se em formatos descarregáveis (csv, bib, json e pdf). Em baixo podem descarregar o ficheiro zip com os diferentes formatos.

Continue reading “Base de dados: notícias e bibliografia sobre o Sudoeste de Angola”

Onjango “Lixo, Cidadania e Política Local”

Um encontro colaborativo com pesquisadores e ativistas angolanos realizado no Instituto Mosaiko em Viana, a 1 de Julho de 2021, para debater a “crise do lixo” em Luanda, e as suas consequências em termos de cidadania e direitos humanos – numa altura em que o país se debate com graves problemas ambientais – desde a seca nas províncias do sul de Angola à poluição nas grandes cidades e ao impacto da indústria extrativa (petróleo e diamantes).

Continue reading “Onjango “Lixo, Cidadania e Política Local””

Sobre lixo, plásticos e seca em Angola

Sacos de plástico na Matala (Huíla). Foto © Ruy Llera Blanes, Outubro de 2020.

Paisagens como as da foto acima – tirada perto de um mercado na comuna da Matala (Huíla) – são, infelizmente, recorrentes na paisagem rural angolana, sobretudo em redor de atividades comerciais como mercados e vendas. Neste contexto, o problema do lixo e dos resíduos, tanto em Angola como no contexto mundial, não é exclusivo das cidades, mas cada vez mais um fenómeno que atravessa todo o tipo de paisagens. Por exemplo, no que diz respeito à poluição causada pelos plásticos e microplásticos nos ecosistemas locais, ou até mesmo na cadeia alimentária local de animais tais como a espécie caprina.

Continue reading “Sobre lixo, plásticos e seca em Angola”

Novos êxodos: os refugiados da seca

Kimbo vazio. Oncocua, Curoca (Cunene). Foto © Ruy Llera Blanes, Junho de 2021.

A foto acima é de um kimbo perto da sede de Oncocua (Curoca, Huíla). Este kimbo do soba Batista não está desabitado, no entanto vários dos seus jovens deslocaram-se para outras paragens à procura de trabalho nas lavras ou na agro-indústria para sobreviver. Neste contexto, o kimbo do soba Batista é um dos vários na província do Cunene que estão a sofrer com o êxodo provocado pela seca. Enquanto que alguns procuram a zona do Calueque, onde se encontram várias fazendas, outros procuram atravessar a fronteira com a Namíbia, à procura de trabalho ou oportunidades de comércio. Muitos kimbos pelo Cunene fora estão completamente vazios e abandonados.

Continue reading “Novos êxodos: os refugiados da seca”

Seca só no Sul de Angola?

Raio X da Seca, média de Fevereiro de 2021. Fonte: página de Facebook do LAOT.

Se o Sul de Angola está a ser afetado por um período de seca que se estende já por vários anos, nos últimos tempos verifica-se a preocupante multiplicação de dados e referências a problemas de seca noutras regiões do país. Urge uma análise séria por parte das entidades competentes e organizações no terreno que possa responder à pergunta: estamos perante um aumento do território afetado pela seca em Angola?

Continue reading “Seca só no Sul de Angola?”

Legados Bóer no Sul de Angola (2): as “carroças estilo bóer”

“Carro bóer”, circa 1922. Fonte: Biblioteca Nacional (Portugal)

Uma referência recorrente sobre a presença bóer na região da Huíla remete para a introdução das carroças de bois como meio de transporte preferencial na região – as famosas “carroças estilo bóer”. Neste post recolhemos algumas dessas referências históricas.

Continue reading “Legados Bóer no Sul de Angola (2): as “carroças estilo bóer””
Search OpenEdition Search

You will be redirected to OpenEdition Search